Pega um, pega geral

31 outubro 2007

Quando eu disse que revistas de vários segmentos entrariam na onda de Tropa de Elite, me referia também à Super. Até a VIP soltou uma edição especial sobre as tais tropas, até então, objetos de atenção somente quando cometiam alguma barbaridade. Depois vou pesquisar se as revistas venderam o quanto seus editores esperam. Se for pela campanha acima, até que a Super pode ir bem. Mas é nas bancas que o bicho pega.

VIP edição especial Tropa de Elite


Dois bons livros e um blog em crise

28 outubro 2007

O que eu gosto mesmo é de ler. E já que é para escrever, queria escrever mais sobre livros. Mas estou lendo bem menos do que gostaria. Fico um mês ou mais em apenas um livro (não vê quanto tempo faz que este está aí ao lado?). As duas ou três pessoas que acompanham este blog há algum tempo podem contestar: “Peraí, quando você era um universitário vagabundo que passava as tardes de barriga pra cima, lendo três, quatro livros por mês, não escrevia sobre suas leituras”. Realmente. Sempre que termino um livro fico escrevendo mentalmente o que publicarei no blog, mas vou adiando, adiando, até que deixo pra lá.

Hoje, que estou em Campinas, pude realizar um ritual que sempre fazia: ter uma idéia, tomar um banho, me sentar em frente ao computador e passar uma, duas ou mais horas escrevendo um texto. Sinto saudades disso, mesmo sabendo (sem querer acreditar) que não vai trazer mais visitas ao blog (e ficar postando vídeos do YouTube traz? Este blog vive uma crise de identidade nunca dantes vista). Também atualizei a lista dos recomendados aí em cima, tem até uma “nova” categoria.

Quando recebi o primeiro ou segundo salário, lá por agosto, fui na livraria da “firma” e comprei logo três livros. Passou-se esse tempo todo e ainda estou lendo um deles: Calor, de Bill Buford. Ainda estou no começo, mas a escrita do colaborador da New Yorker prova mais uma vez que o Jornalismo Gonzo existe, sim, e é muito bom! Não vou entrar no mérito do ser ou não ser Gonzo agora, já que discorri sobre isso à exaustão.

O que li de cabo a rabo recentemente:

Medo e Delírio em Las Vegas, de Hunter Thompson. Embora soe esquisito eu só ler agora o livro que é, de certa forma, fundador do Jornalismo Gonzo, sobre o qual escrevi um livro, mantenho tudo que está no meu estudo. Quem assistiu ao filme de Terry Gillian pode ficar tranqüilo, pois a adaptação foi excelente. O livro demorou a voltar em uma edição em português, mas, em compensação, veio traduzido por quem entende do riscado: Daniel Pellizzari, o Mojo, membro da turma do Cardoso, sobre o qual já falei bastante por aqui também. Medo e Delírio… é uma narrativa engraçadíssima, com um texto muito bem cuidado (esqueça aquele papo de escrita automática, puro charme do Thompson). Definitivamente, o melhor do autor.

Mãos de cavalo, de Daniel Galera. Olha a coincidência: mais um amigo do Cardoso. Eu precisava ler o livro de que se falou tanto ultimamente. Já gostava do falecido blog do Galera, acompanhava as críticas e ainda não tinha lido o tal livro do cara que migrou da internet para o romance. Ainda não é a grande obra do autor, e é justamente por isso, creio eu, que Galera é tão aclamado. Ele ainda vai escrever livros excelentes. Por enquanto, nos dá uma narrativa bem costurada, bem cuidada e geracional, como dizem alguns: o primeiro a escrever sobre coisas que autores mais velhos não poderiam falar, pois não as viveram. Me agradou mais por ter lembrado muito minha infância, minhas corridas de bicicleta, minhas quedas… Coisa muito boa está por vir.


Pulp Fiction fuck version

24 outubro 2007

Copiei do blog do Jão, assumo. Ele é o verdadeiro garimpeiro do YouTube. Confira todos os “fucks” de Pulp Fiction. Se ainda não assistiu ao filme (você ainda existe?)… Bom, já falei disso antes…


… tem ‘gente’ que bebe e tá morrendo

23 outubro 2007

“Bebo, memo…”

Elefantes se embriagam, derrubam poste e morrem eletrocutados

Pelo menos seis elefantes asiáticos, entre eles três filhotes, morreram eletrocutados depois de se embriagarem com cerveja e baterem em cabos de alta tensão no nordeste da Índia, informou hoje uma fonte oficial.

O incidente aconteceu neste domingo, no povoado de Chandan Nukat. Uma manada de cerca de 40 elefantes bebeu por engano a cerveja de arroz preparada pelas tribos da região de Meghalaya. Em seguida, eles começaram a correr pelos arrozais.

+ Leia a notícia completa na Folha Online

Olha, já vi muita gente “dar PT”, mas esses aí me fizeram rever o conceito de perda total.


Pensamento cretino do dia

18 outubro 2007

Tatuagem de dragão

“Não estou fora da moda porque não tenho tatuagem. Na verdade, estou tão adiantado quanto às tendências que, quando for moda tirar a tatuagem, já terei a pele limpa.”

Porque pensamentos estúpidos são em outro blog.


Dove Onslaught

16 outubro 2007

A Dove, que já tinha sido responsável pela imperdível “Dove Evolution” (se ainda não viu, vá em frente), lançou recentemente sua nova campanha, Dove Onslaught. Pode parecer contraditório, mas ela diz literalmente: fale com sua filha antes que a indústria da beleza o faça. Não sou um entendido de publicidade para dissertar aqui sobre o que a empresa pretende. Como um apreciador de vídeos bacanas, digo: assista.

PS: Existem algumas paródias do Dove Evolution, mas a melhor é esta.


O senhor é um fanfarrão, xerife!

15 outubro 2007

Fatiooooou… Iiiiiiisso, 06!

Tropa de Elite é um tapa na cara, mesmo que as discussões sobre a responsabilidade de cada um ainda possam ir bem longe. Maior do que o debate, porém, é o hype, a mania, a piada com tudo que é relacionado ao filme. Dia desses, barzinho com o pessoal do trabalho, as frases do filme dominaram a mesa. Até quem não assistiu já estava fazendo analogias com as frases do Capitão Nascimento. “Esse filme tem mais frases antológicas que O Poderoso Chefão, é isso?”, questionou um dos presentes.

Se alguém pedia mais um chop… “O senhor é um fanfarrão, xerife”; se outro anunciava estar indo embora… “Você é moleque, não merece vestir esse uniforme”; fora aquelas totalmente fora do contexto… “Estratégia, do latim…”. O blog da Mundo Estranho publicou algumas das frases e logo havia dezenas de comentários com outras (não sei quantos exatamente, eu lá quero saber de numerologia?). Parece que decoraram o filme do inicio ao fim.

Neste mês e no próximos pipocarão matérias sobre o filme em revistas de diferentes segmentos (eu mesmo sugeri umas, mas já haviam tido as idéias antes). E é claro que, além do teste “Quem é você na Guerra?” (eu sou o Coronel Estevão! Culpa do coquetel de camarão!), há um blog do Capitão Nascimento e os…

Capitão Nascimento Facts

1. Deus disse que iria fazer o mundo em 7 dias. Capitão Nascimento disse bem alto: “Faça em 6, sr. 01!”
2. Capitão Nascimento dorme com a luz acesa, não porque ele tem medo do escuro, mas o escuro teme ele!
3. Capitão Nascimento joga roleta russa com uma arma inteiramente carregada. E ganha.
4. A farda do Capitão Nascimento é preta porque nenhuma outra cor quis ficar perto dele.
5. Capitão Nascimento dorme com um travesseiro debaixo da arma.
6. Principais causas de morte no Brasil:
7. 1º Ataque do coração
8. 2º Capitão Nascimento
9. 3º Câncer
10. A opção 1 é a maior porque a maioria dos bandidos morrem do coração quando vêem o Capitão Nascimento.
11. O Capeta queria entrar no BOPE, mas o Capitão Nascimento fez ele desistir apenas dizendo: “666, você é o novo xerife!”
12. Capitão Nascimento é a razão de Bin Laden ainda estar se escondendo.
13. Capitão Nascimento não sai de lugar nenhum devendo ninguém, sempre põe na conta do Papa.
14. Capitão Nascimento não tem medo da morte, a morte tem medo dele.
15. Quando Deus disse “Que se faça a luz!”, Capitão Nascimento falou “Tá de sacanagem, Sr. 01? Tá com medinho do escuro, Sr. 01?”
16. Getúlio Vargas não cometeu suicídio, ele só pediu pro Capitão Nascimento: “Na cara não, pra não estragar o velório.”
17. Quando Deus resolveu criar o Universo foi pedir permissão ao Capitão Nascimento, que respondeu: “Senta o dedo nessa porra!”
18. A roupa do Super-Homem era preta até o Capitão Nascimento dizer: “Tira essa roupa preta porque você é moleque!”
19. Capitão Nascimento trabalhou como negociador da polícia. Seu trabalho era ligar para os seqüestradores e dizer: “Pede pra sair!”
20. Quantos Capitão Nascimento são necessários para trocar uma lâmpada? Nenhum, Capitão Nascimento também mata no escuro.
Essa é minha:
21. Capitão Nascimento perguntou a Deus: “Quantos dias o senhor precisa para criar a Terra, sr. 01?” “Dez meses tá bom, senhor!”, respondeu. “O senhor é um fanfarrão, xerife! O senhor tem 6 dias!”

Achei que tinha faltado uma com a minha frase favorita. As outras encontrei no Enloucrescendo, que lincou para o NIX, que atribui a autoria ao Gustavo. Resolvam aí quem criou, porque essa pica não é mais minha, essa pica agora é do aspira.